Vendas: (16) 3605 5599     SAC: 0800 885 7600
Rua Lafaiete, 766

Sobrecarga: o primeiro inimigo da saúde mental das mães.


Data: 08/05/2019

Sobrecarga: o primeiro inimigo da sade mental das mes.

Entenda como a sobrecarga prejudica a qualidade de vida das mães.

O acúmulo de funções atrapalha a saúde mental de qualquer pessoa e com as mulheres não é diferentePreocupações diversas que incluem filhos, casa e trabalho fazem com que as mães queiram dar conta de tudo e é nestponto que os problemas iniciam.

A exaustão resultante do gerenciamento de diversas tarefas e o pensamento de que a mãe deve ser responsável por tudo, oferece uma possível sensação de culpa caso algo saia fora do planejando.

Talvez devido à falta de abordagem sobre o assunto estamos acostumados à sobrecarga materna e nos esquecemos que a saúde mental das mães necessita de atenção, que tem início com a divisão de tarefas entre os pais e cuidadores.

Colocar as prioridades em primeiro plano é outra ação importante, porém certas atitudes simples e fundamentais podem não ser consideradas necessárias, como por exemplo, passear. Em diversos casos, o pensamento de estar falhando por não estar realizando as tarefas de casa por um período podem novamente levar a mãe a um sentimento de culpa.

Devido a este tipo de situação, muitas mães podem negar ou temerem fazer um pedido de ajuda, o que pode desencadear diversas doenças como depressão, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico e muitas outras doenças crônicas. 

A ajuda às mães, além de oferecer qualidade de vida, fortalece o vínculo afetivos entre pais, filhos e demais pessoas da família. Essa ajuda pode acontecer de diversas formas:

Se você é papai:
• reveze com a mamãe os cuidados noturnos com o bebê.
• acompanhe a mamãe nas consultas ao pediatra.
• surpreenda colaborando, sem que a mamãe peça, nas trocas de fraldas e outras funções referentes à casa, como lavar a louça.

Se você é vovó ou titia:
• ofereça para ficar com seus netos e sobrinhos para que os pais possam passear um pouco.
• faça visitas, com aviso prévio, e ajude a mamãe nas tarefas do lar.
• evite comentários negativos e julgamentos.

Enfim, toda ação colaborativa é importante neste e em demais momentos. E você mamãe, não tenha medo de pedir ajuda. Momentos compartilhados entre o bebê e a família são as melhores lembranças que podemos colecionar.




Home
Notícias