DSTs e o carnaval: lembre-se, a camisinha previne mais de uma doença.


DSTs e o carnaval: lembre-se, a camisinha previne mais de uma doena.


A animação para o carnaval já é nítida em todos os lugares e a prevenção para que a sua festa seja segura deve te acompanhar por onde você for.

O preservativo, popularmente conhecido como camisinha, é o seu grande aliado e não apenas contra uma única doença. Ultimamente, quando falamos sobre o preservativo, rapidamente nos vem a cabeça a prevenção contra a Aids, mas não podemos nos esquecer que a camisinha nos protege de muitas outras doenças sexualmente transmissíveis. Veja:

Sífilis: transmitida por relação sexual, pode ser passada da mamãe para o bebê. Os sintomas apresentam feridas na região genital, na primeira fase, e manchas na pele como se fossem alergia, na segunda fase. Felizmente existe tratamento que é feito na rede pública via penicilina.

O perigo da sífilis é que os sintomas podem desaparecer sozinhos, fazendo com que o indivíduo pense que está curado, mas não está.

Outra forma de manifestação da sífilis é a terciária, que pode se apresentar de dois a quarenta anos após a primeira manifestação, causando graves sequelas como lesões cardiovasculares, neurológicas e pode até levar à óbito.

HPV: as características visuais do Papiloma Humano se apresentam em forma de verrugas nos seguintes locais: vulva, ânus, boca ou garganta, pênis, vagina e colo do útero. A relação sexual, seja oral ou pelo coito, é o meio de transmissão do vírus.

A maior preocupação é que o HPV pode causar alguns tipos de câncer, por isso, diariamente nos deparamos com campanhas do colo do útero, para que sejam tratadas as feridas que antecedem o câncer quando identificadas.

Outra forma de prevenção é a vacina, antes direcionada apenas para meninas de 12 a 13 anos, mas agora também disponível para meninos de 9 a 13 anos.

Herpes Genital: a herpes também é transmitida por relações sexuais e se apresenta em forma de feridas dolorosas na região genital. Infelizmente a herpes não tem cura e se aproveita do período de baixa imunidade do organismo para se manifestar.

A prevenção se baseia no uso de preservativos e quando infectado, deve-se tomar cuidado para não transmitir a doença. pois independentemente de a ferida estar cicatrizada ou não, a doença pode ser transmitida. A ferida aberta também requer cuidado, pois pode ser facilmente a porta de entrada para outras DSTs.

Gestantes devem se atentar, pois a herpes genital pode trazer sequelas ao bebê ou até mesmo o aborto.

Gonorreia: o principal órgão infeccionado é a uretra e os sintomas são corrimento na região genital com, ou não, dor ao urinar, sangramento nas relações sexuais e dor nos testículos. Nas mulheres os sintomas não são apresentados.

O tratamento é a base de antibióticos e se não tratada, a gonorreia pode apresentar diversos problemas como infertilidade e complicações nas trompas, no caso das mulheres, e nos testículos, no caso dos homens.

Hepatite B ou C:  as hepatites B e C são transmitidas por relação sexual e por transfusão de sangue. Muitas pessoas possuem a hepatite sem saber, e isso aumenta os riscos de desenvolver doenças recorrentes como o câncer, cirrose ou complicações no fígado.

A hepatite B pode ser prevenida via vacina, mas a vacina para a hepatite C ainda não se encontra vigente. Neste caso, os exames de rotina são os mais indicados e os sintomas podem se apresentar em forma de enjoo, olhos amarelados ou cansaço.

Aids: o sistema imunológico do organismo é o principal alvo do vírus. Os jovens se apresentam entre a faixa etária mais vulnerável mesmo com o contínuo empenho das campanhas.

Com a avanço das pesquisas, o tratamento se encontra na fase em que garante o controle da doença e torna o vírus indetectável, mas não chegamos na fase da cura.

Caso a pessoa suspeite que está infectada, deve procurar a unidade de pronto atendimento imediatamente. Quanto antes a doença for diagnosticada, melhores serão as condições de tratamento.

Estar ciente do quanto o preservativo é importante para a vida é evitar que a sua festa acabe sem motivos para comemorar. Informe aos seus amigos e familiares que não é apenas a Aids que o preservativo previne e espalhe muita informação acompanhada de confetes e alegria em seu carnaval. ?




Home
Notícias